Verdades inquestionáveis ou remédios para a fraqueza?...

Por vezes não podemos avançar e muito menos esquecer, o coração fica preso a recordações infindáveis, que nos transportam no tempo como se tivesse o poder de alterar toda a dimensão em que vivemos. Essas recordações ficam, agarradas, presas e trazem com elas cheiros, sorrisos, lágrimas, músicas, sabores e uma série de outros sentimentos que fazem de nós simples actores de uma história de amor. Desistir nunca mesmo antes de se lutar, mesmo antes de perdermos os medos e fazer aquilo que sempre queremos fazer, a vida é uma, as pessoas são tantas, os sentimentos variam entre verdades inquestionáveis e mentiras disfarçadas para atenuar a dor. Não tenho eu nem tu, o poder de adivinhar o que se passa, o que se sente, as frustrações e a vontade de atirar tudo para o alto e apenas viver, vivemos então assim de olhos vendados e de mãos e pés atados à espera que tudo se torne mais claro, sei que a vida nem sempre é justa mas tudo depende apenas de nós, da nossa força de mudar e de esquecer passados que de nada servem. O passado para mim é algo bastante relativo que acaba por ocupar um lugar mínimo nesta minha cena, nesta minha história que escolhi interpretar, por isso agarro as oportunidades que a vida me dá, sorrio hoje a até mesmo posso chorar amanhã, mas de uma coisa eu tenho a certeza, avançar e esquecer nunca e muito menos desistir antes de tentar...

Comentários