Porque será que se inventam as mentiras?

A verdade e a mentira, duas coisas tão distantes, um pau de dois bicos em que nas suas extremidades se encontram elas, separadas, distintas e contraditórias. Sempre ouvi dizer que temos de saber lidar com as duas, que temos de saber viver assim porque elas existem e são constantemente praticadas por todas as pessoas, umas mais afincadamente, outras apenas em situações extremas de desespero ou de aflição. Sendo sincero detesto a mentira, detesto as historias mal contadas e acima disso detesto a intromissão das pessoas na vida alheia de cada um. Cada um é como é, cada um forma a sua vida conforme acha melhor, com o que acredita, com o que deseja e acima de tudo forma-se da maneira que o faz feliz. Por isso não me venham com falsas palavras e até mesmo falsos moralismos que de nada valem e acreditem se cada um se preocupasse mais com a sua vida do que com a vida dos outras seria mais feliz e saberia lidar com as suas próprias frustrações e os seus momentos menos bons. Fraco daquele que não consegue viver a sua vida e apenas vive a vida dos outros, porque quando isso acontece é que algo não está bem e aí só se tem duas saídas, ou se continua infeliz, ou se muda um pouco e se tenta viver mais a própria vida. Sabem a história do João dos lobos? Ele sempre dizia, “olha o lobo, olha o lobo” e as pessoas vinham a correr às suas portas para o acudir. Isso levou muitos dias e o João sempre repetia a mesma coisa até que um dia os lobos apareceram mesmo e nesse mesmo dia já ninguém veio à porta e o João teve um final que poderia ter evitado. Assim mesmo é a vida e acredito que mais dia ou menos dia acaba-se sempre por saber que algo é mentira, por saber que uma história ficou mal contada e nesse dia, ai nesse dia, o feitiço acaba por se virar contra o feiticeiro e a história acaba mal como a do próprio Joaozinho. Mais vale levar a vida de uma maneira feliz e despreocupado do que viver de mexericos infelizes e de palavras inventadas...

Comentários