Porque o sonhar ainda faz parte da nossa vida...

Se soubesses não abandonarias o porto mesmo antes do barco partir, se soubesses ficarias a mim ancorada, se soubesses não fugirias com o teu olhar e não olharias apenas quando os olhares não se cruzavam, se soubesses apenas sentias, se soubesses corrias e não te escondias, se soubesses apenas se soubesses. Se soubesse ficariam assim a olhar, a sentir, se soubesse agarrava, se soubesse vivia, se soubesse amava, se soubesse corria. Agora apenas sou mais um ao luar, á espera de ver a primeira estrela da noite, dar-te a mão e assim ficar, a sonhar, a viver, a amar a sentir e te fazer também sentir. Não é um erro, é apenas mas uma estranha forma de vida, baseada sobre pequenas histórias de criança que ainda prendem os sonhos de ambos e que contribuem para o medo de falhar. São assim, medos, receios, vontades, sonhos, sentidos, sentimentos, olhares, tudo misturado dentro de um grande saco que ainda se continua constantemente a encher, quando chegar a hora acaba por se abrir e daí irá sair o que tanto eu como tu desconhecemos e nesse dia, eu e tu ficaremos a saber e não a desconhecer ou ignorar tudo aquilo que foi dito e tudo aquilo que ficou por dizer...O querer tem muita força e o que tiver de ser assim será, o que tiver de partir partirá e não olhará para trás, apenas fica assim esquecido e arrumado dentro de uma gaveta que se chama “recordação”...

Comentários