Não é liberdade é uma estranha forma de vida...

Pode parecer liberdade mas não é, pode parecer um tremendo erro mas não o é, vivo assim preso e ancorado a um porto de abrigo que acredito ser o mais verdadeiro. Pode passar horas, meses e até mesmo anos mas acredito que as recordações, aquelas pequenas recordações são eternas e perduram por tempos infindáveis rompendo a própria barreira do real atravessando a barreira utópica, transformando sonhos em realidades vividas e sentidas. O destino é tão engraçado e ao mesmo tempo tão traiçoeiro, dá, tira e até mesmo provoca o nosso coração e retira assim as personagens de uma história que pensávamos que iria acontecer. A vida mostra bem mais do que aquilo que conhecemos e é esse mistério que faz despertar em nós uma curiosidade enorme capaz de mover-nos por caminhos infindáveis na procura daquilo que pensamos ser a nossa felicidade. A vida é vivida por aqueles que não têm medo de arriscar, medo de andar no escuro e de saltar num abismo, melhor dizendo todos temos medos, anseios, receios, hesitações, mas depois há aqueles que por um lado tentam romper com tudo isto e de uma maneira acabam por jogar a este jogo que é a vida, por lado contrário há aqueles que nunca foram capazes de arriscar, que só jogam na sua margem de manobra, e esses, esses acabam por não viver mas sim construir um mundo apenas seu e de fantasias que nunca passarão a realidades. Todos somos capazes de cair, todos num momento ou outro acabamos com errar, por isso o importante e enxugar as lágrimas, aprender com o erro, erguermo-nos de novo, voltar a criar objectivos e reaprender a sonhar depois disso tudo se torna mais claro, tudo se torna mais feliz. Pode parecer por dias que o sol se esconde de nós, e é nesses mesmos dias que temos de saber limpar as nuvens, limpar os olhos e ver que o sol brilha para todos e não apenas para uns...


Comentários