Fantoches ou pessoas reais?...

Nada melhor que sermos nós, nada melhor que colocarmos algo nosso, apenas sentido por nós e não por outras pessoas que escreveram certamente a pensar diferente do que pensamos. Existem por aí milhares de frases, milhares de sentimentos inculcados nessas mesmas frases, uns verdadeiros e outros apenas fingidos e escritos com o intuito de vender e continuar constantemente a lucrar com essas mesmas farsas. Por isso escrevo por mim, porque melhor do que ninguém sei o que sinto, o que penso e o que sai do meu coração em formato de letras e textos que para mim não me são indiferentes. Acredito que é bonito colocar frases que parecem chamar a atenção de todas as outras pessoas, mas onde está aquele pedacinho de nós? Onde está o nosso sentimento lá? Apenas está ali um espelho daquilo que sentimos, mas não passa disso, de um espelho, que reflecte, que imita mas que não somos nós, não é o nosso coração a falar mas sim uma cena que se adapta a uma parte da nossa vida e apenas isso. Posso escrever de forma simples, posso até colocar frases sem nexo ou até mesmo nem respeitarem as regras ou uma gramática já há muito inventada, mas escrevo assim, sinto assim e não irei mudar por isso. Para sermos felizes apenas precisamos de procurar o que queremos, para sermos reais apenas temos de dar um pouco de nós em tudo o que fazemos e para amar-mos temos de nos deixar ser amados, com os nossos defeitos, com as nossas virtudes e se te pensarem em mudar, em que alteres o que és, em que passes a ser o que a outra pessoa quer, então isso não te faz feliz, não se chama amar mas sim moldar-te de forma a deixares de ser pessoa e passares a ser apenas um robô que procura amor mas que afinal vive ilusões. Gosta de ti como és, molda-te sem perderes o que és, se for difícil melhor que dá mais gosto à vida e se não for teu é porque não te fazia falta. Mas de uma coisa não te podes esquecer, para sermos felizes temos de ser apenas nós despidos de mascaras e sem medos de mostrarmos o que somos, caso contrário apenas somos infelizes fantoches nas mãos de que não nos sabe conhecer...

Comentários