Acreditem amar vale a pena sempre...

Peguei na minha caneta e sentei-me em frente a uma janela que estava carregada de gotas de água desta chuva que cai sobre esta terra, coloquei uma música e comecei a escrever o que me vai no coração. Não sei se é por estarmos a viver este dia, ou até mesmo por o meu coração pedir mais um pouco de amor, mais um pouco de felicidade. Escrevi de amor, escrevi de uma paixão que já foi vivida e que acabou por ficar num passado que eu não consigo esquecer e que saberei que acompanhará para sempre todas as minhas recordações e os recortes daquilo que um dia foi uma história feliz. Não devemos ter medo de amar, não deveremos ficar sentados à espera que algo nos aconteça, isso significa passar ao lado da vida, esquecer de viver e acima disso esquecer de lutar por uma felicidade que eu penso estar ao alcance de todos nós, basta dar de nós, abrir o nosso coração, não ter medo de chorar mas também não ter vergonha de sorrir para aquela pessoa que nos enche o olhar de luz e provoca aquele brilho tão especial e tão raro ao mesmo tempo. O amor ficou guardado, mas fica a recordação, por isso vou sair por esta avenida, cantando o outro lado desta vida, buscar em cada esquina um abraço um olhar, ou seja, apenas viver a minha sina e voltar a poder de novo amar, viver algo diferente do que foi vivido mas acredito que mais especial, devido ao que se aprende e ao que se deixa para trás.
Nisto tudo aparece uma historia, uma historia que recordo, uma promessa feita, um abraço dado e um beijo apaixonado num local especial, com um anel especial e com um amor que tinha tudo para dar certo, choraram os dois, recordaram aquele momento e viram juntos um pôr do sol que os fez acreditar num futuro risonho. Ele pegou nela e levou-a até uma rocha, aquela rocha repleta por uma magia e ao mesmo tempo que trazia algum significado aos dois, ela de olhos vendados saiu do carro e foi levada pela mão dele até uma arvore e lá sim ele tirou-lhe a venda e fez aquilo que um dia foi a coisa mais importante da vida dele e prometeu que jamais se iriam separar e que aquele era o primeiro dia de uma vida construída a pensar no futuro e a pensar na felicidade dos dois. Ele colocou o anel, ainda que com as mãos tremulas na mão dela e ela em sinal de alegria deixou cair as lágrimas pelo seu rosto e ele também acabou por não controlar as dele. Agarraram-se os dois e ficaram assim por uns minutos como se o mundo que os rodeasse não existisse e apenas existissem eles no meio daquele pano de fundo lindo e ao mesmo tempo tão mas tão especial. Ambas voltaram para o carro e ela viu que foi acompanhada pelo cheiro das suas flores favoritas e que de uma maneira ou outra ele nunca se esqueceu dos gostos dela e aquilo que lhe fazia feliz. Acabo este meu texto de hoje com uma certeza, amar vale a pena e não custa mesmo nada dar algo de nós a alguém, dar o que sentimos e depositar o nosso coração nas mãos de quem nos faz feliz, todo o tempo conta e se não houve um “para sempre” fica a existir esse mesmo sempre na nossa recordação. Sejam Felizes...

Comentários