Espero por ti, talvez numa rua, na praia ou até mesmo ao virar a esquina da rua de tua casa...

Apenas são palavras e nada mais que isso, hoje escrevo para ti, amanhã não sei. Não sei se o meu coração consegue continuar a lutar por ti, não sei mais se o meu corpo aguenta esta batalha por ti. A vida é só uma, e as pessoas dentro dela são tantas, tu entraste na minha vida e a tua presença teima em ficar, o meu pensar não consegue fugir de ti, o meu coração pede mais um pouco de tempo, pede mais um pouco de espaço para que tudo se torne mais claro, para que tudo se torne mais fácil para mim. De momento não quero pensar, apenas quero viver quero ser mais feliz apesar de me considerar feliz por tudo aquilo que faço, por tudo aquilo que vivo, por todas as pessoas que conheço e conheci mas especialmente pela pessoa que sou e pela minha forma de pensar e sentir.
            Podes não saber sentir os sentimentos que te transmito ou então posso ser eu que não os sei demonstrar da melhor maneira. Na vida todos somos diferentes mesmo tendo muitas parecenças, eu sou assim, um pouco tímido e desajeitado mas se for pela intensidade de tudo o que sinto, aí sim, tenho um mundo de pessoas dentro de mim. Sinto as coisas com tanta força que por vezes acabo por magoar o meu próprio coração, a minha alma e acabo por me refugiar em sítios e pessoas com a esperança que tudo passe e que os dias se tornem mais claros e mais felizes.
            Adoro como vivo agora, adoro como sinto agora e mais do que isso tudo, adoro gostar de ti, porque de uma maneira ou outra tudo isto me fez despertar para coisas que até aqui tinham ficado esquecidas no tempo, coisas que já nem me lembrava que existiam mais. Espero por ti, talvez numa rua, na praia ou até mesmo ao virar a esquina da rua de tua casa, porque se é para te provar o amor que sinto sou capaz de ir buscar forças onde elas não existem, sou capaz de quebrar com toda esta minha insegurança e correr em direcção aos teus braços e nesse dia verás que todas estas palavras se podem transformar em actos…

Comentários