Mais vale me orgulhar daquilo que faço do que viver daquilo que poderia fazer...

Não gosto de viver num mundo de faz de conta e muito menos não gosto que as minhas palavras, palavras essas que escrevo com sentimento, sejam interpretadas por outras pessoas e por outros sentimentos e que depois no fim não têm o resultado que deveriam ter. Escrevo porque gosto de escrever, porque gosto de no final olhar para cada palavra, cada frase e cada texto e saber que está ali um pouco de mim, um pouco da minha vivência mas acima de tudo um pouco do meu sentimento.
Já escrevi muito sobre muitas coisas, acredito que muitas vezes os meus textos tomem proporções que não são as que eu esperava. Espero que entendas que acima de tudo o que aparecem nestas palavras são a minha imaginação, aquilo que na realidade queria que acontecesse, aquilo que queria viver mas acima de tudo aquilo que queria viver contigo. Todas as pessoas que escrevem, englobando eu, escrevem para de uma certa maneira conseguirem deitar para o mundo o que não conseguem exprimir de outra forma. Eu sou assim, escrevo assim e não consigo escrever de outra forma.
Dou por mim a pensar mas porque será que as pessoas muitas vezes falam da vida dos outros, colocam palavras onde elas não existem, sentimentos onde nem sequer aparecem e depois pessoas que não conseguem ainda distinguir ou ver algumas coisas acabam por cair na armadilha e não desenvolver a sua vida com medo de algo ou com medo de estar a fazer o errado.
Quando disse que nunca mais escrevia para as pessoas que não merecem nunca voltei atrás, pois estas palavras apenas se destinam a ti e não a outras que acreditam plenamente nisso. Por vezes na vida temos de fazer escolhas, temos de seguir caminhos, temos de seguir sonhos e não é uma carinha bonita ou um sorriso simpático que prendem um homem, penso eu, mas sim a beleza de um coração que há pessoas que nunca o conseguirão ter.
Todas as pessoas apesar de se guiarem por moldes que a sociedade lhes dá acabam por ter as suas ideias diferentes, serem genuínas, criarem a sua própria maneira de ser e para mim essas diferenças, essas pequenas coisas são as mais importantes pois separam essa pessoa de todas as outras que existem em seu redor. Não queiras ser igual aos outros, sê diferente, porque o que há mais por aí são imitações rascas de personagens e de pessoas que pertencem a outros mundos que não são o teu.
Já disse que nunca mais escrevia para quem na realidade não merecia uma palavra da minha boca e uma frase escrita saída do meu coração. Apenas gosto de responder a frases e a comentários que colocam mas que na realidade não sabem ver o seu verdadeiro significado, com isto não quero dizer que escrevo para essas pessoas mas sim para elas entenderem o que estão a fazer neste mundo e a começarem a ver as coisas com os pés mais assentes na terra.
Não sou melhor que ninguém, mas também não sou pior que qualquer um que passa pela minha vida, acredito que cada pessoa tem algo de seu e só seu o que a distingue do resto. Não quero acreditar que todos somos iguais pois se assim o for viver neste mundo não tem qualquer tipo de significado para mim. Sabes que mais? Já foram os tempos em que escrevia para ti...

Comentários