Ultimas palavras que escrevo assim...

Quando as palavras ficam por dizer, e apenas aparece um sorriso inexplicável no rosto, é assim que tudo está hoje para mim, chega de palavras que de nada servem, chega de inseguranças que a nada conduzem, chegou a ora de tudo ser demonstrado em palavras, gestos e afectos de cumplicidade entre duas almas que se gostam.
Não quero perder mais tempo da minha vida, não quero voltar a andar mais a deriva a espera que um dia dê à costa, quero ser feliz, fazer alguém feliz mas acima de tudo voltar a viver um amor que ficou esquecido com o tempo. Sou uma pessoa que pouco arrisca, que pouco demonstra os seus sentimentos por gestos, tudo isto derivado de um medo tremendo de se magoar ou de magoar outra pessoa.
Se queres, se eu quero, porquê é que as palavras ficam mudas e o silêncio apodera-se dos nossos dias? Chegou a hora, chegou o momento mas sobretudo quero que entendas cada palavra, cada sentimento e cada gesto que te demonstro sempre que te vejo e sempre que te sinto por perto. Estou aqui no linear onde caio para um lado ou acabo por cair para outro.
Nem sempre se pode esperar uma vida por um sinal de outra pessoa, nem sempre podemos nos esquecer de viver para apenas sonhar com a outra pessoa. Este é o último texto que te escrevo pois estou prestes a iniciar uma nova etapa, uma nova vida mas sobretudo está na hora de voltar a amar.
Sempre que abro uma porta fecho tudo o resto que está para traz e se tu não queres que eu feche a porta em que tu estás agarra-me na mão e juntos vamos abrir a porta em que os teus sonhos e os meus sonhos se fundem e dão origem aos nossos sonhos, sonhos conjuntos e objectivos de uma história a dois.
Há dias assim em que temos de decidir se queremos voar ou apenas ficar a ver os outros a voarem eu quero voar e tu?...

Comentários