Teatro de pessoas reais…

Partirei sem olhar para traz sem te ver mais uma vez e especialmente sem sentir o cheiro do teu perfume de novo no meu rosto. Não sei o que me deu neste instante mas sei que isto é um sinal que é este o caminho que devo seguir neste momento. Não te quero perder mas também não te quero abandonar. Cada dia que passa, passa gente por mim que nada me diz mas que não sei se serão o grande amor da minha vida.
Questões enchem o meu pensamento; Esperar por ti valerá a pena? Prender-me mais uma vez a evidencias que podem estar erradas? Acho que não, quero viver a vida, aproveitar aquilo que abdiquei durante cinco anos e sobretudo sentir sensações que ficaram esquecidas lá para traz ou até mesmo sensações que nunca foram vividas.
Admito que não consigo muitas vezes ver aquilo que está mesmo a minha frente mas a culpa em certa parte não é minha mas sim nesta minha forma de ser, sonho de mais e vivo de menos.
Quero ser livre, quero amar, quero me apaixonar, quero me divertir, quero viver cada dia como se fosse o último mas especialmente não me quero iludir com pessoas que na realidade não correspondem aquilo que eu chamo amor.
Se um dia olharmos para traz, nem que seja só por um instante, e vermos que a nossa vida nada mais foi do que um teatro mal encenado, devemos procurar outro realizador e transformar essa tragédia numa comédia romântica. Nunca é tarde para amar e ainda muito menos é tarde para se voltar a viver…

Comentários