Histórias sem fim…

Sentir e voltar a sentir, ou apenas viver sem esperar o que o futuro nos reserva? Não quero ser assim, sei que não sou assim e muito menos sou uma pessoa de aventuras e de histórias curtas que no máximo levam um dia e no dia seguinte surgem as despedidas marcadas por uma falta de sentimento e por um arrependimento sufocante.
Em tudo o que faço, por tudo o que luto e pelo amor que procuro não posso ser de outra maneira, não procuro relações fúteis baseadas em prazeres de uma noite, eu procuro sim grandes histórias, um amor verdadeiro e sobretudo conseguir acordar com um sorriso nos lábios e não com um peso na consciência.
Sou assim e não me arrependo de nada pois gosto de levar as coisas a sério respeitado sempre a outra pessoa mas acima de tudo respeitando o que sinto e por o que luto na realidade. Quero ser assim, irei ser sempre assim e nunca irei mudar pois sou fiel aquilo a que eu chamo amar de verdade e não apenas amar alguém só por amar e só para dizer ao mundo que se ama alguém.
Não me venham com discursos que a vida tem de ser vivida e que o que acontecer acontece. Não a vida tem de ser construída sobre algo que idealizamos, sobre os nossos sonhos e não em andarmos por ai ao sabor do vento e a procura de um número infindável de relações esporádicas que fazem de ti uma pessoa pior e uma pessoa que não consegue esquecer situações que bem podiam ser evitadas.
Vou ser assim, acredito que é assim e o resto, ai o resto, o resto para mim é uma história inacabada em que a personagem principal em vez de acabar com o seu príncipe ou a sua princesa, acaba com o sapo…

Comentários