Há dias assim, hoje, amanhã e sempre…

Há dias assim que nos deixam sós a alma vazia e a mágoa na voz, mas é nesses mesmos dias que temos de abrir a janela do nosso quarto para deixar que a luz do sol nos banhe o rosto e nos desperte para viver mais um dia. Hoje espero que seja um dia desses, tenho tanto por fazer e ainda tenho uma noite que espero que seja formidável pois vou reencontrar pessoas que me levarão de novo a recordar tempos já passados.
Quero tanto ser feliz, que muitas das vezes assusto-me com esta minha grande ambição. Será que é pedir de mais? Eu julgo que não, pois toda a gente quer ser feliz uns com uma forma e outros com outras formas que nem sempre são as mais correctas e as mais verdadeiras. Cada vez mais vivemos num mundo onde as representações sociais são distorcidas, pessoas imitam outras na maneira de falar, na maneira de vestir e até mesmo tentam criar uma série de sentimentos construídos sobre uma base chamada mentira à espera que pessoas como nós caiamos. Não acredito que isso sejam pessoas felizes pois para seres feliz tens sempre de colocar algo de ti em tudo o que fazes mas especialmente em tudo o que sentes.
Caminho por entre estradas e ruas que não sei onde me levam mas lá no fundo sei que corro em direcção a ti, ao teu amor e a uma felicidade que idealizo e que sonho cada vez mais a cada dia que passa. Não sei se me entendes, se entendes as minhas palavras mas se as escrevo e se as sinto são porque tu existes, porque estás aqui e especialmente porque a minha vida neste momento sem ti não passava de uma simples história sem final feliz.
Há dias assim, e há dias em que acordamos com uma força que desconhecemos mas que nos guia em varias direcções e ai sim, temos de fazer escolhas que nem sempre são fáceis, ir ou não ir, amar ou não ou até mesmo ser feliz ou procurar outra felicidade mais duradoura e menos efémera. No tempos em que vivemos as relações são cada vez mais efémeras, num dia está tudo bem e após um pequeno obstáculo tudo muda um segue um caminho e outro segue outro caminho na maioria das vezes oposto. Ninguém luta mais por vencer batalhas, quebrar obstáculos mas sim abandonam o barco a primeira tempestade que surge.
Cada um de nós tem que traçar metas, definir objectivos de vida e só ai sim encontrar alguém que se adeqúe ao que verdadeiramente queremos. Nessa altura sim pode surgir qualquer tempestade, pode vir ventos e fortes marés que o barco continua a navegar em direcção a um destino que se chama FELICIDADE…

Comentários