1 Ano a falar de amor...

Há instantes na vida em que tudo aparece por uma razão, em que o destino invade a nossa forma de viver e torna de nós pessoas bem melhores e com uma capacidade de sonhar transponível no tempo, nas horas e nos segundos de uma vida que vamos construindo à medida que vamos vivendo e descobrindo o que é o amor. Parece que foi ontem que soltaram para este meu refúgio as primeiras palavras de um amor avassalador, de um amor diferente porque no fim de contas com ele descobri muitas coisas que eu próprio desconhecia como esta minha forma de explicar sentimentos por palavras e emoções através de histórias que nem podiam ser as minhas. Foi um ano em que dei a conhecer de mim aquilo que de mais verdadeiro existia, falei de amor, falei de paixões de sonhos e até mesmo de frustrações que acabam por invadir os nossos dias e aqueles noites geladas em que as vontades se perdem e o desejo que temos é de desistir. Este blog torna-se o espelho da minha alma, o refúgio das minhas palavras, o diário de bordo de uma vida igual a de toda a gente, diferente nos dias, diferente nas emoções que se vai sentindo no decorrer de tudo isto que muitos chamam de destino. Os amores perderam-se, outros reapareceram no meio desta caminhada que nem sei onde me vai levar e ainda ficou aquele amor que me preenche as linhas de cada texto que aqui vos deixo, de cada sonho que aqui reparto. Acredito em finais felizes e em histórias em que o amor vença qualquer obstáculo, podem me chamar de sonhador mas o que seria a nossa vida sem sonhos? O que faríamos se um dia nos dissessem que o amor não existe e que nós apenas vivemos numa vida por viver? Acredito que nesse dia o meu mundo ruía, que nesse mesmo dia os meus sonhos apagavam-se e o meu coração parava de bater deixando assim o meu corpo inanimado entre as ruas e ruelas de um desconhecido que me atormentava a alma e me sufocava a vida. Escrevo de amor porque no fim de contas não sei escrever de outra coisa, de outros sentimento para além deste que me preenche cada espaço, cada vazio de uma alma que busca incessantemente aquilo que se chama de felicidade em que todos lutam mas que só alguns a conseguem alcançar. Hoje faz um ano, poderia fazer dois, três ou até uma vida mas hoje marca o virar de mais uma página, o acabar de mais um capítulo que no fim de contas apenas foi escrito com um único e simples fim, chegar ao coração de quem parecia distante e fazer com que cada um de nós nos encaixasse-mos em cada palavra, em cada sentimento aqui descrito de uma forma natural, despida de moralismos, entregue somente aquilo que todos ambicionamos viver. Agradeço assim aqueles que leram, aos que não leram, aos que gostaram e até mesmo aqueles que criticaram cada palavra e cada sentimento, porque no fim de contas todos somos livres de escrever à nossa maneira, de falarmos de amor, de vivermos de sentimentos. Nem todos conseguimos ser feitos de pedra e eu sou feito de carne o que me faz viver de emoções que me magoam, que me prendem ao passado, que me arrancam sorrisos e até mesmo lágrimas mas que no fim de contas me fazem ser melhor a cada dia e que ao final de mais uma jornada me possa deitar na cama e sentir que sou diferente na minha diferença e que sou feliz como vivo e vivo porque um dia aprendi e nunca mais me esqueci do que é amar...
Se cada palavra tivesse o um nome, se cada sentimento tivesse uma resposta, se cada olhar tivesse um significado atribuiria a ti, porque posso ser igual a todos os outros, posso até mesmo não ser a perfeição daquilo que tanto sonhaste, posso não ter o que os outros têm mas certamente o amor, esse, é bem diferente, porque no fim de contas não te amo o corpo mas sim a alma...

Comentários

  1. oh, sempre tao amavel. adoro ler-te, esta lindo *

    ResponderEliminar
  2. Outra fatia de bolo para este lado, meu caro! Eheh. Mais anos virão, mais sentimentos e palavras de tua parte. Mais olhares, atenções e lindos momentos! Um grande abraço de parabéns!

    ResponderEliminar
  3. Nao tens que agradecer, estarei aqui sempre de olhadela no teu cantinho *

    ResponderEliminar
  4. Não há o que agradecer, amigo.
    Abraço. :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário