"Amar-te-ei em vendavais..."

Serei teu… mesmo que tudo termine e finde com o meu corpo.
Apenas sei que serei teu, nesta vida que te pertence,
Neste coração que bate – que se alimenta do amor que me dás.
Amar-te-ei em vendavais, em tempestades de vontade,
De sonhas tão reais – como aqueles que depositas nas minhas mãos
(em sinais de uma confiança que não consigo explicar).

Serei teu… muito para além desta vida que não matará tudo o que sinto,
Aquilo que te dou em todas as horas – nos nossos segredos mais confessos.
Amar-te-ei em vendavais, em vorazes temporais,
Que nos arrastem em actos de amor…
De um amor que soubemos construir e que enfrenta barreiras.

Amor… serei teu…
E apenas o sei ser, desde que comecei a respirar,
Desde que o meu coração começou a bater
(em batimentos vivos, de uma vida que me deste).
Serei teu…
E nada me matará, nem roubará este amor,
Porque enquanto for teu…

Amar-te-ei em vendavais.




Comentários

  1. são os vendavais em que caímos que nos mostram os maiores sentimentos. Apertando os laços e as palavras, cada vez que se respira por Amor, algo cá dentro renasce e morre aos bocadinhos. É assim.

    Gosto muito de ler-te :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado pelas suas palavras.

      Um abraço e felicidades :)

      Eliminar
  2. Sem palavras...
    as suas tormentas de amor fazem chover poesias lindas diariamente.

    Adoro este tipo de intempéries... :)

    Abraço


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado por todo o apoio e por toda a simpatia.

      Um abraço e tenho uma boa noite :)

      Eliminar

Enviar um comentário