"Excitação"

Ama-me no silêncio dos nosso olhares,
Naqueles em que nos perdemos em segredos,
Em impetuosos sentimentos,
Revoltosos batimentos,
Que nos bombeiam as veias de paixão.
Ama-me na imensidão de tudo o que nutro,
Ao beijar-te os lábios – em mordidas suaves,
Capazes de nos fundirmos em desejos
(De nos libertarmos da prisão: que é a vida).

Ama-me nas palavras, naquelas que te trovo ao deitar,
Numa cama repleta de apetite carnal, sentimental,
Usual – de quem se usa e abusa numa paixão avassaladora.
Ama-me em sussurros, em espasmos de vontade,
Daquela voracidade tão conhecida,
Quando conhecemos a nudez dos nossos corpos
(Em excitação, perversão, loucura).

Ama-me e deseja-me,
Faz do meu corpo o teu deleite, da minha alma a tua satisfação.
Ama-me na paixão e devora-me em beijos,
Em fortes anseios – capazes de nos elevarmos para outro mundo.

Ama-me apenas… ama-me como te amo,
Como procuro o teu corpo, querendo-o, idolatrando-o,
Apetecendo-o em todas as horas, em todos os segundos,
Em que me entrego aos meus espasmos mais profundos,
Aqueles que tenho em actos de agitação…
Que só tu me causas.



Comentários

  1. Exalou todo o seu sentimento na perfeição.
    É um entusiasmo lê-lo todos os dias. É um escritor fantástico.
    Orgulho... tem de ter...
    Um ópitmo dia,
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado pelas suas palavras que tão boas são de ser lidas.

      Um abraço e votos de um óptimo dia :)

      Eliminar

Enviar um comentário