"Nunca pensei amar-te assim"

Nunca pensei amar assim, sentir com tal voracidade,
Um sentimento tão crescente - capaz de me ressuscitar o coração.
Nunca pensei em sentir tal tempestade de desejo,
Entregue num simples beijo (em palavras que te sussurro ao ouvido - à alma...).

As vontades por cá crescem, medram em sonhos realizados,
Em projectos projectados que...
Nem em utopias um dia desenhei viver a teu lado.
Nunca. Jamais idealizei o teu olhar em que me perco, 
No mais puro fado - em que entrego a minha alma por completo.

Amo-te, em cada expressão inacabada, imaculada,
Translucida em tudo o que mostramos, em tudo o que damos,
(Sempre que nos entregamos um outro outro, sem temor...).

Amor... nunca pensei em ter-te, em revirar-te o mundo,
Revirando o meu peito em batimento tão profundo.
(Capaz de nos alienar destas vidas em que vivemos...).
E, se um dia, se eu alguma vez no meu pensamento pensasse em viver-nos,
Chamar-me-ia de louco, gozaria com a minha loucura,
Porque... nunca acreditaria que iria viver este nosso amar...

 

Comentários

  1. Poeta do amor, mais um poema fabuloso.

    Noite feliz.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado pelas suas palavras sempre simpáticas.

      Uma boa semana :)

      Eliminar
  2. Mais um fantástico poema, com tanta alma, tanto sentimento.
    Muitos parabéns pelo dom que tem.
    Não pare de nos presentear com tão belas palavras

    ResponderEliminar
  3. Bom dia André, não quero parecer perfeita e corretora ... mas penso que merece que lhe diga que o texto deveria ser alterado para "Chamar-me-ia de louco..."
    espero que concorde :)
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Primeiramente gostaria de agradecer o seu comentário.
      Depois dizer-lhe que o titulo já se encontra escolhido e que não será alterado (apesar da sua sugestão ser boa.)

      Um Abraço :)

      Eliminar

Enviar um comentário