"Devora-me em beijos"

Devora-me o mundo em espectro pujante, em negrume dissipado,
Naquele em que entrego o meu corpo ao teu - no desejo saciado: pela nossa vontade.
Impele pelo meu peito, desvendando cada segredo que me preenche,
Que me remexe o destino (enlaçando os nossos dedos em firmes devaneios).
Agarra-me e prende-me, na liberdade do amor que sinto, de tudo o que não minto
(Mentindo não querer mais... um segundo de paixão...).

Peço-te então: 
Deixa-me louco, envolto em utopias irreais, em fortes vendavais, em oceanos de vontade.
Despe-me as entranhas, imiscuindo-me da realidade em que padeço no tédio,
Na monotonia que não contemplo - amando-te como te amo.

Devora-me de uma vez. EU SOU TEU, sem qualquer resistência,
Entregando-me na ausência da dormência - daquela que não encontro contigo.
Atira-me ao perigo que eu sobreviverei para te amar,
Porque enquanto o meu coração bater, o meu corpo tremer, o meu desejo querer...
Devorar-te-ei em beijos...



Comentários

  1. "Atira-me ao perigo que eu sobrevirei para te amar"... todos os dias uma frase que marca a profundidade do sentimento...

    Surpreendente todos os dias!

    Tenha uma boa noite.

    Abraço :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenho palavras para agradecer os seus comentários diários.
      Tenho de agradecer imenso pela sua simpatia.

      Um Abraço e boa noite :)

      Eliminar
    2. Maissssssss do que merecidos! :)

      Eliminar
    3. Mais uma vez me encantando, e mexendo com o meu <3 que eh por demais; 'romântico'. Obrigada pelas poesias, surpreendo-me dinovo <3 Bjs de boa noite!

      Eliminar
    4. Obrigado pelas suas palavras e por passar por este meu espaço.
      Espero continuar a vê-la por cá,

      Um Abraço :)

      Eliminar

Enviar um comentário