"Simplesmente...Amo-te"

Procuro-te, nas ruas em que escrevo o teu nome,
Nas paredes gastas, esquecidas pelo tempo,
Relembradas de nós.
Amor, sou eu este homem feito de instantes,
Um ser errante, que te ama nas suas horas mais tardias,
Nos batimentos silenciosos,
Naqueles que ecoam, para além do meu corpo.
Amor, pudesse eu agora ser teu, por um instante,
Por um só segundo partilhado,
A teu lado, em gesto enamorado.
Pudesse eu pertencer-te, em todas as horas.
Amor, quero que saibas que também falho,
Que tenho medo, medo de ir, de largar, de partir,
De ficar. Preso, submerso, só.
Quero viver-te, viver-nos, em cada pedaço daquilo que sou,
Em tanto sonho que se sonhou, numa mão cheia de amor.
Amor, se me ouvires, se me escutares num só respirar,
Vem-me buscar, leva-me no embalo do teu peito,
Faz de mim um imperfeito perfeito.
Conjuga-me em ti,
Sem que exista fim,
Num nós...tão complicado de desatar...


Comentários

  1. Belo! Continue a escrever para que enriqueça os nossos momentos!

    ResponderEliminar
  2. Olá :)
    Ainda não conhecia este blog, mas fiquei encantada ao ler este "pedacinho" :).
    Boas viagens,
    Rosana
    http://bloguinhasparadise.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite Rosana,

      Muito obrigado pelas palavras. Com toda a certeza irei passar pelo seu blog :)

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Boa tarde Carina,

      Tenho de agradecer-te pelas palavras. Passei pelo teu blog e gostei bastante do que lo.
      Infelizmente, não consegui comentar através do sistema que lá tens implementado.

      :)

      Eliminar

Enviar um comentário