"Feitiço"

Das ruas desertas, não quero ouvir falar. Não quero saber.
Daquelas ruas volvidas para o mar, naquelas que ao meu olhar... perco-me em tua demanda.
És tu, sempre tu! Mais que eu, mais que tanto.
Quem almejo ter, nos meus braços. No compasso em que descompasso,
Rendendo-me aos feitiços...do teu sentir.
Despe-me o corpo, no eufemismo desta paixão ardente,
Ensandece-me em segredos, conquistando-me num beijo prolongado.
Crava-te em cada memória tua, que reside no meu peito. Neste homem que sou,
Que contigo sonhou... muito antes de tua chegada.
Sê a minha maior verdade, o tempo passado, um futuro delineado,
Sobre as nossas mãos unidas, em tormentas de amor.
Rouba-me tudo, enche-me daquilo que mais preciso...de ti.
Torna-te a utopia alcançada, a vontade saciada, o desejo nosso.
Em sentimento exposto, ao olhar repartido...no meu e no teu rosto.
Sacia cada segundo em que te chamo. Preciso de ti nos meus braços!
Prende-me na liberdade daquilo que somos,
Simplesmente ama-me... como amo cada pormenor de ti...



Comentários

  1. Voltei e mais uma vez fiquei saciada... tem de pensar em colocar todos os seus pedacinhos em livro. Escreve divinalmente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais uma vez, tenho de agradecer as suas sempre gentis palavras.
      Quanto ao livro, logo se verá, agora as minhas divagações vão ficando por cá.

      Tenha um óptimo fim-de-semana :)

      Eliminar

Enviar um comentário