"Rompe-me as amarras"

Não consigo mais negar, nem a mim mesmo,
Este amor que sinto, o grito que em mim escondo,
Neste meu peito que te pertence, sem tempo,
Naquilo que resta e que entrego nas tuas mãos.
Não, não quero saber do erro se é errado eu te amar,
Se tiver de tudo perder para poder contigo ficar,
Quero apenas ir, fugir de mim e abraçar-te,
Quero apenas sentir, quero apenas cuidar-te.
Que sejas tu rio e eu mar, que sejas tu mais do que eu ou eu,
Menos que tu,
Leva-me daqui, agora, que me fizeste viver,
Que me fizeste conhecer, que me fazes saber o que é sentir.
Vem-me buscar, rapta-me destas amarras,
Faz de mim aquilo que nunca ninguém foi,
Abraça-me,
Ama-me simplesmente...


Comentários

  1. Primeiro, obrigada pelo maravilhoso comentário.
    Segundo, também eu me arrepiei ao ler este poema. Principalmente quando dizes "Quero apenas sentir, quero apenas cuidar-te" e depois "Leva-me daqui, agora, que me fizeste viver". Lindissímo, sem sombra de dúvida. :)

    ResponderEliminar
  2. Parabéns pelo excelente blog que tens, à muito tempo que sigo e não me arrependo :)
    continuuuua assim *

    ResponderEliminar
  3. (...)se é errado eu te amar? Discordo....errado é aquele que não sabe amar.

    A um Passo do Amor A um passo do amor estarás a um passo do futuro e a duzentos mil anos do passado. O teu nome é o nome de todas as coisas-, quando todas as coisas respiram no teu nome. Entre o sofrimento e a felicidade, muito de ti se espalha pela vida, muita vida te aguarda, muita vida te procura. Um duplo coração bate dentro do peito e fora de ti. Tens a sabedoria das crianças e a sabedoria dos velhos. Sabes ferir e beijar e sentes o vento do orgulho. Pequeninos gestos, grandes pensamentos, constroem um dia excepcional, um amor excepcional, uma violência excepcional. Todas as noites são uma só noite, tanto desespero pode voltar a ser esperança. As tuas mãos são uma pátria. Os teus dedos são, umas vezes, o mais difícil dos rebanhos. E outras, os cães que o guardam, quando a verdade é triste e o amor tem a fome e a sede das estrelas.

    Joaquim Pessoa, in 'Ano Comum'

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amar não será um erro ao nosso olhar, enquanto amamos, vivemos a nossa vida, da forma mais livre que podemos ser, agarrando o destino, fugindo daquilo que nos prende as mãos.
      Amar o verdadeiro é como tocar cada parte da nossa pele, sentimos em nós o nosso próprio toque, sentimentos, apenas isso, sentimentos e não conseguimos explicar tal sensação.

      Obrigado pelas palavras :)

      Eliminar
  4. Já te disse que és a melhor pessoa que conheci em 2014 e uma das melhores dos últimos anos? ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim já e eu também já te disse que foste uma grande surpresa :)

      Eliminar
  5. Amar nunca é errado acredita. Errado é amar quem não nos ama.

    Bjxxx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não concordo, errado não é amar quem não nos ama.
      Não existe erro ao amor quando o sentimentos, poderá ser visto como erro aos olhos dos outros mas, o que interessa?
      Mesmo que ames e não te amem só o sentimento que vês crescer dentro de ti fará, da tua pessoa, uma pessoa melhor certamente.

      Beijo :)

      Eliminar

Enviar um comentário