"Meu amor"

Fragmenta o tempo em que te amo...meu amor,
Envolve-te nos meus braços, sentindo este peito fulgurante.
Entrega o teu corpo ao meu, nesta vontade crescente,
Invade-me o coração, deixa-me dormente.
Dilacera a saudade que habita o meu olhar,
Rouba-me dos fantasmas, daqueles que não sabem amar.
Crava a tua presença, em cada memória de mim,
Pertence-me a todas as horas, em que desconheço o fim.
Enfrenta comigo, as tempestades que virão,
Seremos então, amantes, guerreiros da nossa paixão.
Faz-me sentir-te, muito mais do que na eternidade,
Bombeia-me o coração, sem roubares a minha liberdade.
Apenas sei que serei teu...por agora.
Mesmo que a vontade se veja abrandar,
Que a chama teime em apagar,
Mesmo que o rio deixe de correr para o mar,
Saberei ser teu, até ao meu último acto de respirar...



Comentários

  1. Kate (alguresentreoceueomar)25 de junho de 2014 às 13:36

    Lindíssimo :)
    Delicioso de se ler.
    Já há muito que não "te" lia. Bateu uma saudade e decidi passar por cá :)
    E como sempre ... surpreendida pela positiva. Nota-se algo de especial nos teus textos, que se acentuou agora.. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado pelas palavras Kate,

      Sim, com o tempo, tudo o que é verdadeiro acentua-se, fica marcado e não temos como fugir disso.

      Um beijinho :)

      Eliminar

Enviar um comentário