"Inquietação"

Queira o tempo que te veja em mim,
Neste meu peito que te sente, que clama por ti,
Em ruas apertadas desta vila com cheiro amar,
Naquelas em rabisco o teu nome, em intensa arte de amar.
Dedilho o futuro em puro acto de paixão,
Nos declarados desejos, naqueles agarrados na minha mão.
Em intempéries me deito, na vontade que tenho de te beijar,
No puro anseio que cresce, que emerge,
No romper de cada respirar.
És inquietação do meu corpo, tenção presa nos meus dedos,
Entre presentes e passados, libertas-me dos meus medos.
Chamo por ti, nesta minha vida passageira,
Espero a tua chegada, agora, talvez uma vida inteira.
Não demores, a vontade aperta,
Conto os dias na falta que tudo me desperta,
Apenas vem e pede-me lume, ateia-me, incendeia-me,
Depois arde comigo...


Comentários

  1. r: Adoro sempre os teus comentários :o
    Inspiradores *-*

    ResponderEliminar
  2. Respostas
    1. Obrigado pelo comentário Cláudia mas aqui existe um eu, não um "nós" :)

      Eliminar
  3. Ainda que em silêncio, leio sempre o que escreves. E gosto sempre tanto :)

    ResponderEliminar
  4. Não tens de agradecer. Gosto de te ler, porque gosto da maneira como amas.
    E quanto ao ambiente crio no blog, já várias pessoas me disseram isso, que a música transportava para outro mundo.
    Obrigada pela visita!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário