"Agora"

Se fosse o meu último grito, chamaria por ti, por mim, por nós.
Pudesse o mundo ruir, bem ao meu olhar, naquele acto de tudo perder,
Seria apenas teu até poder, seria aquele te sabia amar.
Sem olhar, tocaria na tua pele mais uma vez, uma última,
Uma primeira vez.
Deixava-me ir no sonho de não te perder, mesmo que tudo fosse acabar,
Mesmo que deixasse de respirar, mesmo que...o amor,
Das nossas mãos se visse dissipar.
Deixaria eu de viver tudo o resto, deixaria para trás os medos infundados,
Os sentimentos calados, os momentos aguardados.
Se, hoje, agora mesmo, fosse o fim de tudo, seria o início que nunca fui,
Seria a palavra que nunca te disse,
Seria o confessar que nunca te confessei,
O Beijo que nunca te dei.
Se tudo perdesse hoje, perdia-te a ti mesmo sem te ter,
Nas minhas mãos,
No meu corpo.
Perdia-te de mim, arrancava-te do coração,
Morria na ausência de meu órgão mais vital,
Padecia na falta de um amor que nunca te dei...




Comentários