"Abraço"

Tenho tanto para te contar, que só esta vida não chega,
Tanto para te amar que não será ...esta vida, capaz de abarcar tal amor.
Confesso-te que deixei-me enfeitiçar pelos olhos do teu ser,
Logo eu que sou marinheiro hábil, alguém que não gosta de amarras.
Fiquei-me pelo teu abraço (tão bem que me sabe ainda hoje recordá-lo).
Deixei-me livrar de tudo em mim, despi a pele que me cobria o corpo,
Larguei o meu porto seguro, conheci a agitação deste meu mar de sentimentos.
Não sou eu perfeito, sei disso e minto, minto em tanto que calo,
Naquilo que não digo, em detrimento do que sente o meu peito.
Quero que saibas que também sou feito de carne, deste coração que bate, que fere,
Que me envolve e que...agora, vive neste desconhecido que tanto gosto de conhecer.
As noites por aqui têm assumido outro desfecho, tenho sonhado,
De mais, em todos os segundos.
Agora apenas não controlo o sorriso que brota do meu rosto,
De forma despropositada, somente lembrando-me de ti.
A verdade é que não sais de mim,
Não o quero que saias,

Apenas quero o teu abraço...



Comentários