"Abraça-me"

Almejado beijo que não acodes aos meus lábios,
Neste corpo que te pede...em pedaço de ti.
Coração que te sente, bem mais do que tudo,
Bem mais que eu, bem menos do que te amo.
Esplendor da minha mais insane vontade de ser,
Espectro de luz, que me faz querer.
Naquele anoitecer em que caio, em que somos tanto de nós.
Emerjo em ti, sou este peito que te evoca,
Que me provoca, que revolta todo este meu coração.
Seremos sós, se tu não me pertenceres ao respirar,
Em cada toque suave que me faz lembrar,
Que te amo, que não sou homem de partir.
Tormenta do meu próprio sentir,
És quem me arrasta, quem me marca,
Naquilo que sou, naquilo que sonho em segredo.
Serás tu a pura ilusão de um dia vivido,
O desconhecido que tanto prezo conhecer.
És a eterna forma do meu esperar,
Quem não me canso de amar,
Vem...agora, vem-me abraçar...




Comentários

  1. Adorei os primeiros versos :)))
    A imagem, a musica aiii ^^

    ResponderEliminar
  2. Adorei o que escreves-te!! Está tão bonito, tão sentido e verdadeiro, parece quase uma melodia que se canta para quem se ama. Escreves sempre tão bem, tão delicadamente. Um beijinho

    ResponderEliminar
  3. escreves tremendamente bem
    e adorei a musica

    ResponderEliminar
  4. R: Muito obrigada :)

    Adorei estes teus versos. Que escrita fantástica!

    ResponderEliminar
  5. "Quem não me canso de amar,
    Vem... agora, vem-me abraçar...

    Incrível, não há outra palavra que descreva esse alvoroço simples e belo de amor. Amei.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário