"Confesso-te"

Envolve-te em mim,
Envolve o teu ser no meu,
O meu no teu,
Formando, juntos, o nosso caminho.
Olha-me no silêncio, desnuda-me o corpo,
Sente-me a pele, ouve-me o coração.
Fica, nesta vontade tão erudita,
Nesta vontade que reside em mim,
Que me fala de ti,
Que me faz sonhar, contigo, diariamente.
Confesso-te que vives por aqui,
Nesta história que escrevo sabendo que existes,
Nestas palavras em que te narro,
Em cada artéria de uma matéria que se exprime no teu ser.
Quero-te simplesmente como um presente que desejo viver,
Como este amante que fazes em mim nascer,
Como um simples sorriso, como um ambicionado “ter”.
A verdade é que contigo não há mentira e,
Se algum dia acreditasse na perfeição, seria agora,
Na conjugação de todas as imperfeições que possas ter,
Num rosto desenhado em pinceladas pelo teu superior ser,
Por quem me faz achar, em quem eu me desejo perder...



Comentários

  1. Está tão bonito! Tenho pena quando perco alguns dos teus textos, por não poder cá vir tantas vezes. São sempre inspiradores :)
    Adorei esta versão de uma música fantástica.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário