Meia-noite intermitente...

Saberás tu que sou apenas um homem,
Apenas mais um e nada mais,
Que o meu corpo é carne, sangue e veias que pulsam por ti.
Sou um errante, um pecador, uma perdedor de tantas batalhas,
Sou eu...um simples homem.
Não te prometerei o mundo,
Irei sorrir mas também chorar,
Irei querer-te como te irei amar,
Irei ser um pedaço de ti e, todo o restante, será a liberdade que me compõe.
Serei teu se tu assim me quiseres,
Serei eu, apenas eu,
Serei eu e tudo o que sou.
Não prometo amar-te,
Não prometo cuidar-te,
Não prometo que irei ficar,
Apenas ficarei contigo sem nada prometer...



Comentários

  1. Agora sei que és das melhores coisas que podem acontecer a alguém :) Um beijo, prolongado*

    ResponderEliminar
  2. Tive que vir ver!
    Vi o nome do meu blogue e isso despertou a curiosidade.

    E não me arrependo, gostei do poema; acho que está lá tudo o que se pode dizer a alguém.

    ResponderEliminar
  3. Fantástico :)
    Beijinhoooo*
    www.flordemaracuja.pt

    ResponderEliminar

Enviar um comentário