Revelar(-te)...

São como melodias, sons em que te ouço, na imensidade de um querer, num desejo crescente de ter. São imagens, sonhos talvez, expressões inacabadas de um amor maior, de uma maturidade que aclama o teu nome, no meio da minha cama vazia, do meu coração confessante. Não partas agora, fica mesmo aqui, nesta multiplicidade de formas com sabor a sal e a doce de um gelado partilhado a dois. Percorreremos as ruas, as vidas vividas de quem se entrega ao viver de forma despida, vazia de barreiras que impeçam de ver. Dou-te o meu melhor tiro, nunca fui de guardar o sentimento por entre a neblina de um nevoeiro que tarda em passar. Gosto de saborear a vida, de saborear-te nesta doce ilusão de te ter a meu lado, nestes segredos apenas meus, apenas e somente nossos. Encontro-te nas noites, na incerteza de tudo que me faz tremer, que me faz correr por entre os dias numa ânsia de te encontrar, num passo dado, num olhar cruzado. Dizem que a vida é um conto de falhas, eu tenho tantas e tu, certamente, também as terás, não procuro a perfeição, o que procuro mesmo, é a verdade que passa no teu olhar, o sorriso que me faz acreditar e um ser diferente dos demais, alguém com conteúdo e mais, alguém com quem o futuro faz sentido. Não pensaremos muito no amanhã, o hoje, está aqui mesmo, de frente para nós, esperando ser vivido, traduzido ou até mesmo conduzido. Nestas noites de verão procuro as tuas mãos nas minhas, os teus lábios nos meus e os segredos confessados, em sussurros baixos só para nós ouvirmos. Espero por ti numa das ruas desta vila, em que o cheio a maresia entra pelos nossos pulmões revelando um sentimento que cresce de forma destemida num peito que sabe sentir. Dou-te o meu melhor tiro, aquele que te faz render, tantos são os tiros dados nestes dias em que a vontade é de viver. São certezas porem envergonhadas, palavras que falam no silêncio de uma conversação, são pequenos toques de confissões acertadas de quem pensa em ti a toda a hora, eternamente com o coração...


Vem agora, vem sem demora, vem embora, chegou a nossa hora...


Comentários

  1. Adoroo :)
    Tiro?

    Ás vezes é difícil ficar, n desistir, n seguir em frente por caminhos mais fáceis ou "mandar tudo para o tecto" e concentrar-mo-nos nas coisas mundanas...


    "as tuas mãos nas minhas, os teus lábios nos meus, em segredos confessados, em sussurros baixos só para nós ouvirmos (...) eternamente" :')

    ResponderEliminar
  2. Gostei mesmo de ler isso :)
    É bom sentir-me de alguma forma útil..

    Ahh ok já percebi!

    ResponderEliminar
  3. São palavras que falam no silêncio do coração de quem as lê... fantastico como sempre. Cada dia um novo texto, mas sempre na mesma base, a base do amor, do sentir, do amar, do ser amado, admiro muito a tua capacidade de escrita, a tua forma de extrair os sentimentos. Um beijinho de boa noite

    ResponderEliminar
  4. como sempre, palavras perfeitas :) já tinha saudades de passar por aqui. um beijo.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário