Aquela mesma tarde...


Só tenho a agradecer a vossa passagem por este meu lugar, pelas vossas palavras, pela vossa presença. Hoje, com tempo, irei passar pelos vossos blog´s. Sejam felizes incondicionalmente, sejam felizes e ponto final. Beijos e Abraços...
Chegado a casa ainda sentia o teu cheiro na minha camisa, aquele cheiro que me levava, de novo, na direcção do teu ser. Era um dia diferente, o sol, tivera chegado de uma forma mais constante e, o meu olhar, cruzando-se com o teu, levou-nos àquela viagem em que nos tocamos, em que os nossos lábios sentiram o gosto de um sentimento que cresce dentro do nosso coração. São certezas, momentos únicos vividos na palma da mão de quem se arrisca a viver, de quem sonha percorrendo esse mesmo sonhar. Naquele campo corremos que nem pássaros livres, percorremos a sombras das árvores e sentamo-nos junto ao rio, junto àquele refúgio dos sentidos em que confessamos sentimentos, em que trocamos juras de amor. Era um início e um fim ao mesmo tempo, um início de uma história e o fim da fuga de um amor que tanto questionamos ser ou não verdadeiro. Em gestos simples encostaste a tua cabeça sobre o meu ombro e olhamos o céu, aquele céu que não representava o limite deste nosso querer, deste amor humilde, alcançado pela verdade de um querer que fomentamos nos caminhos que escolhemos. Em palavras ternas pediste-me para te falar do que eu queria viver, do que para mim era uma história feliz e eu, mesmo sem pensar, respondi que era assim que eu via a felicidade, naquele lugar, sobre aquela tolha de piquenique, no cruzar dos nossos olhares, na ternura dos nossos corações. Tu, sorrindo, disseste que tudo seria eterno e eu, eu apenas te disse que a eternidade éramos nós que criávamos, que eramos nós que fomentávamos num luta, constante, entre o ter e o não ter, o ver e o beijar numa despedida que se queria curta. Saímos dali com uma forma de ver o mundo diferente, com um sorriso que não se explicava e que não era perceptível ao olhar de todos os outros, hoje, saímos daquele nosso lugar com uma vida maior, com um acreditar mais intenso e com um sentimento de que somos felizes, de que juntos, somos uma história sem ser incompleta...





Comentários

  1. Adorei este texto, quem me dera viver um momento assim, tão intenso!


    um beijinho*

    ResponderEliminar
  2. Hoje escreveste o amor simples, o amor que se encontra em cada gesto, em cada momento, nas coisas mais simples da vida.
    Falaste-nos sobre o verdadeiro amor, imperceptível para os outros que nada sabem e tão verdadeiro para os amantes.

    :) Beijinho, gostei muito.

    ResponderEliminar
  3. Hoje, ao ler-te, so uma pessoa surgiu na minha mente...ups. :)

    Beijinho

    ResponderEliminar

Enviar um comentário