As palavras que te endereço...


Hoje tira um tempo e lê-me, apenas lê-me com o coração...


Tentei por momentos imaginar, fechei os olhos e sorri numa simples forma de alegria. Era amor, sabia eu que era amor, um amor diferente, porque não te conseguia tocar, porque não te conseguiria explicar sem ser pelas músicas que ia deixando. Sabes quando se encontra alguém que é o espelho daquilo que sempre pedimos? Quando essa pessoa é real? Quando deixa de ser apenas sombra dos nossos sonhos? Nesse momento dás por ti a viver um sonho, a viver um momento teu, apenas teu e em que tu decides o que fazer.

A vida seria bem mais fácil se descomplicássemos tudo, se arriscássemos uma vez, apenas uma vez, dando o passo da nossa vida, mostrando à outra pessoa que queremos a sua mão. Vivemos num mundo esquecido, num viver desprovido de sentimentos em que as pessoas não sabem amar, não aprenderam a esperar e partem sem mesmo lutar. Por vezes falhamos, calamos em vez de dizer, escutamos de mais o coração e tentamos que tudo apenas seja mais uma ilusão e nem vemos se tudo poderia ser real.

Um homem, sou um homem que vive destas letras, que vive destes sonhos em que o amor torna-se personagem principal. Verdades minhas e somente me amará quem conhecer quem sou, por entre mantos de neblina e imagens distorcidas. Para amarmos temos de nos amar, temos de saber esperar, os momentos perfeitos são criados por nós, mas nunca serão criados à pressa.

Falo de amor como do ar que respiro, falo de amor como se a minha vida dependesse de cada tarde em que me sento, em que largo o mundo real e começo nestas fantasias, neste refúgio das palavras que tantos conhecem e que outros apenas esquecem. Não procuro a perfeição como tantos o fazem, gosto de simplicidade, de pequenos gestos, de grandes vivências. Nunca fui de me entregar a promessas, nunca fui de esperar de mais mas sim dar de mais. Vivo na ilusão que me deixa feliz, acredito nas pessoas, em contos que não encontram fim mas procuro uma vida feliz e não apenas um final.

Nunca fui de exigir de mais e quem o faz, menos merecedor é de viver o que a vida tem para lhe dar. Gosto de amores sem barreiras, sem “besteiras”, gosto daquilo que me faz sorrir, gosto de fazer sorrir e não é assim que o amor deve ser? Não é desta forma que o sentimento deve ganhar vida? Se um dia pudesse escolher, se um dia pudesse viver, viveria contigo, bem ancorada a mim, bem junta ao meu coração.

Não me perguntem o significado, nunca me exijam uma explicação, quando falo de amor, deixo de ter razão, perco a minha sanidade e guio-me pelas linhas do coração, por aquelas que tantas vezes fazem falta, por aquelas que tantos desconhecem. Vivo nesta fantasia, mas sempre assim o foi, porque eu, eu acredito na força do sentimento e tu, tu será que acreditas também?


O que queres viver pode estar tão presente na tua vida, será que tiras tempo para ver? Arrisca...


Comentários

  1. Besteira é não acreditar nas tuas palavras. És um anjo :)

    ResponderEliminar
  2. Acredito :) É também um dos meus filmes favoritos e já perdi a conta das vezes que o vi. Não me canso. Infelizmente não o vi no cinema. É lindo e intemporal, bem como a música.
    Muito obrigada pelo comentário :)

    ResponderEliminar
  3. Identifico-me tanto com o teu texto :)

    Tenho um passatempo a decorrer no blogue, se quiseres participa. Beijoca* :)

    ResponderEliminar
  4. oh , muito obrigado mesmo. é bom ouvir elogios como os que tu me dás. O teu texto diz-me imesmo , gostei mesmo **

    ResponderEliminar
  5. Música linda... áliás tudo sempre muito lindo!!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário