O meu Eu revestido de palavras...


Em cada verso existe um lado inverso, nesse lado inverso descobre-se o que é melhor para nós e, nesse momento, vemos que o igual não é cativante, que o normal não é o mais importante e o que, nos torna vivos, é amar sem tempos, sem moldes, sem barreiras, vivendo por nós, querendo por nós mesmos.
Em cada prosa existe uma vontade nossa, em cada desejo reavivamos o nosso querer, moldamos o nosso viver, mudamos o rumo, aprendemos a ser nós mesmos, sem ficar querendo partir, sem partir querendo ficar, tornamo-nos nós no viver, tornamo-nos nós mesmos no querer.
Em cada momento existe a recordação de um sentimento, em cada chegada esboça-se um sorriso e nunca haverá melhor caminho do que aquele percorrido por nós, vivido pela nossa vontade, querido pela nossa maior razão de existir.
Em cada sonhar existe sempre um desejo de amar, de ficar, de permanecer amando, sem que o tempo passe, crescendo por dentro, vivendo por fora, amando, desejando, fazendo da vida um hino à nossa felicidade, um caminho que nos leve a uma vida que não encontre apenas um final feliz, mas sim, um caminho inteiro repleto de felicidade...

Procuramos na vida aquilo que nos preenche, aquilo que pertence a uma doce ilusão de concebermos o amor da melhor forma, de concebermos a felicidade como espelho de nós mesmos. Deveremos ser as palavras, deveremos ser gestos que perduram, que permanecem independentemente do momento, do sentimento ou até mesmo da personagem. Deveremos ser fiéis a nós mesmo porque, somente assim, seremos felizes com o que temos, com o que conseguimos e não invejando quem é feliz. A felicidade parte sempre de nós, por isso não percamos tempos com atalhos, com enganos, temos um caminho pela frente e é esse que conta, são as pessoas que estão nele que contam, são os amores que ele contempla que fazem parte de nós. Quem vive de migalhas nunca se sentirá completo, quem vive de desapego nunca deixará de ser carente e quem se dedicar ao amor, sente a coisas com mais intensidade, pode-se magoar mas, certamente, saberá qual é a melhor sensação do mundo, certamente, será bem mais feliz...



Comentários

  1. Gostei muito de te ler hoje. Mais um texto magnifico!

    ResponderEliminar
  2. És sempre fantástico, André. E fico sempre sem palavras. É um prazer ler-te, tenho dito.

    Quanto à música, sempre adorei-a.

    "I know we'll make it anywhere
    Away from here
    Light up, light up
    As if you have a choice"

    Beijinhos e paz

    ResponderEliminar
  3. ohh André, és de uma simpatia que não te sei explicar. E o teu blogue sempre com mensagens tão positivas. Só revela que o sorriso das tuas fotografias é mesmo verdadeiro e genuíno. Obrigada pelas tuas apreciações. Muitos beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. Olá Olá,

    Mais uma vez grande texto, novamente a forma como invocas e trabalhas com os sentimentos e emoções é simplesmente perfeita! Como sempre a fazer aquilo que de melhor fazes.

    Na verdade estamos revestidos de palavras, para cada pessoa à um livro que a descreve com finais por finalizar, para cada momento à uma canção, para cada história um verso e para cada acção uma descrição! No final as palavras são todas belas, quando usadas com sabedoria, nao? E isso tens de sobra =)

    Forte Abraço

    ResponderEliminar
  5. Olá,
    em primeiro, queria agradecer-te pelas palavras que me deixas-te, é sempre bom receber comentários tão simpáticos. Em segundo queria dizer, mais uma vez, que adorei ler-te. Textos magníficos e sentidos. Adoro!

    ResponderEliminar
  6. "Fazendo da vida um hino à nossa felicidade" , e esse hino, somos nós que temos a capacidade de o escrever e moldá-lo aquilo que significa para nós o próprio alcance de felicidade.
    E é verdade, a maneira honesta e natural com que vivemos torna-nos especiais, a artificialidade nos Seres Humanos, devolvem-lhe uma felicidade artificial, sem cor ou fundamento.
    Que a felicidade de cada um seja sempre projetada conforme a sua busca permanente.

    Beijinho*

    ResponderEliminar

Enviar um comentário