Ler não se trata de passar apenas os olhos...


Hoje coloquei cores porque o texto é extenso mas, acredito, que cada palavra tenha o seu significado, tira uns dez minutos, não é preciso mais, e lê-me, com tempo, sem pressas...
Hoje decidi escrever algo diferente, algo meu, algo em que acredito, algo que vai para além das palavras que aqui deixo e dos textos que falam de amor. Hoje decidi partilhar o que penso, partilhar a minha forma de ver a vida, a minha forma de encarar este sentimento que tantos se esquecem mas que eu, carinhosamente, chamo de meu amor. Leio muito sobre este sentimento, pessoas que dizem não acreditar nele, pessoas que o ignoram e outra tantas que o levam ao extremo. Custa ler pessoas que não aprenderam primeiramente a ser felizes consigo mesmas, pessoas que precisam de um outro alguém para poderem ser felizes. Mas como isso pode ser concebível? Depositarem a sua vida nas mãos de um outro alguém? Aprendi, com o tempo, que temos de nos amar para podermos amar, que temos de ter confiança em nós, que deveremos acreditar nos nossos sonhos e jamais abdicar deles por meras palavras ou opiniões de quem não escreve a minha história. Sejamos francos, ninguém é de ninguém e na vida não há portas que se possam trancar colocando pessoas prisioneiras de um amor se já nem sequer amam. As pessoas são livres, livres de escolher, livres de viver, de errar, sim, porque errar é uma forma de crescimento pessoal e há tanta gente que precisa de crescer por dentro e não por fora. Cada um de nós concebe o amor à sua maneira, à sua semelhança. Eu dou o meu exemplo, há quem utilize a palavra “amo-te” e eu, eu sinceramente não a consigo utilizar, é algo que se adquire com o tempo, algo que para mim não é tão banal como um simples “olá” ou um “Tudo bem?”. Existe muitas “crianças” a viver o amor sem o conhecer, desconhecendo o que ele representa e, consequentemente, perdem o seu tempo e desperdiçam a sua juventude. Com isto não quero dizer que o amor é para “crescidos” porque não o é, mas o amor é diferente porque, com o passar dos anos, passamos a conjugar ele de outra forma, num outro sentido que antes nem sabíamos existir. Eu falo de amor, falo de amor porque é ele que dá sentido às linhas que escrevo, falo de um amor um pouco diferente mas é isso que eu gosto, de ser diferente, pensar da minha forma, guiar-me pelo que acredito que seja o melhor para mim. Não me falem agora em o mundo acabar porque alguém saiu da nossa história, não me digam que já não sorriem porque um namoro acabou, eu não penso assim, se alguém partiu é porque não faz parte da nossa história, se alguém desistiu é porque o amor não era tão forte como se dizia. Como eu digo sempre, mais vale um amor pequeno dividido a dois do que uma encenação de fachada representada para toda a gente ver. Ninguém é feliz de aparência, ninguém é feliz de intrigas. Sejamos um pouco mais humildes e comedidos no amor, sejamos apenas nós mesmos! O que será melhor do que ter o nosso mundo, o nosso amor, o nosso segredo? Na vida tudo tem o seu tempo, tudo ocupa o seu lugar, há partidas que chegam para melhorar e há chegadas, ai há chegadas, que nos fazem tão bem à alma. Agora, agora que falei do que quis e do que também nem queria falar vou sair, vou viver um pouco e tu? Tu faz o mesmo, vive a tua vida, vive o teu sentimento, não fujas de ti, não fujas da tua vontade, arrisca, arrisca-te a amar e seres amado(a) também. Há coisas que não se pode parar e uma delas é o tempo, por isso vive e ama o que tens antes que a vida te ensine a amar o que tiveste...




Não leias apenas a última frase, porque ela é a junção de todas as outras que estão antes :)


Comentários

  1. Li-te com tempo e sem pressas, como faço sempre. O teu texto, para mim, não é um texto extenso mas para os olhos de outros que apenas passam o seu olhar sem chegar ao fim da leitura com mais amor e um sorriso no rosto. Gosto muito de te ler, já to disse imensas vezes e adoro ler-te porque falas de amor, um sentimento belo e enorme. Faz parte de ti, de todos nós, nunca deixes então de falar desse sentimento verdadeiro e puro. Amar é amar-nos em primeiro lugar, sempre, e só depois os outros. E é como dizes “temos de nos amar para podermos amar”. A vida nunca acaba quando uma relação chega ao fim, a vida continua e o amor encontra-nos novamente. Hoje vivi, amanhã viverei. Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Há uns tempos atrás disse que gostava de ler um livro escrito por um amigo meu, numa pergunta que me foi feita, hoje digo-te que tenho muita curiosidade de ler um livro escrito por ti! E tal como justifiquei o porquê naquela altura, agora justifico o porquê do teu também. Porque "as emoções... embaraçam-nos, muitas vezes, sempre que não sabemos o que fazer com elas." e tu não te incomodas isso, o que me parece é que sabes sempre o que fazer com elas e situa-las mais ou menos no lugar certo. isto segundo o que já tive oportunidade de ler, obviamente.
    "Custa ler pessoas que não aprenderam primeiramente a ser felizes consigo mesmas, pessoas que precisam de um outro alguém para poderem ser felizes." - isto é tão verdade! Mas eu acredito mesmo que ainda aos poucos e poucos as pessoas vão aprendendo isso.
    "Como eu digo sempre, mais vale um amor pequeno dividido a dois do que uma encenação de fachada representada para toda a gente ver." e ainda acrescento algo mais aqui, devemos amar a vida "aceitando que há (sempre) alguém mais bonito que nós e mais ainda do que a pessoa de quem mais gostamos" :)
    "Na vida tudo tem o seu tempo, tudo ocupa o seu lugar" - digo isto imensas vezes, ainda hoje disse isso a alguém e de facto é mesmo verdade :)*

    ResponderEliminar
  3. Tens toda a razão. Amor é um sentimento que muitos ainda não sabem o que é na realidade, que fazem circular a palavra "Amo-te" sem nunca a ter sentido verdadeiramente. Há pessoas que banalizam tanto a magia do amor até magoa a maneira como o brincam de um lado para o outro. Também tens razão no que diz respeito a termos de gostar de nós próprios, amarmo-nos para que então possam nos amar também e de igual modo partilhar esse amor entre duas pessoas. Não podemos depender do amor de alguém, mas por vezes custa viver sem um amor ao nosso lado, custa passarem os anos e não acontecer nada...enfim, resta-nos a esperança nestes casos e esperar pelo dia que tudo acontecerá e que seja o mais correspondente possível aos nossos sonhos.

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. À semelhança do que faço sempre, tirei todo o tempo necessário para ler o que aí vinha pois sabia de antemão que era diferente. E o quão já debatemos esta questão não é ? E tu sabes a minha opinião, sabes o que acho e tudo aquilo que sinto. Só somos felizes em conjunto se primeiramente formos felizes individualmente. Só amamos alguém quando nos amamos a nós mesmos e só vivemos com franqueza com os outros quando vivemos em paz com o nosso "Eu". Amar é muito mais que um simples "Amo-te" ou um articular de palavras enfeitadas. Amar vem de dentro para fora, vem do fundo e da maneira mais bela e natural do nosso Ser.
    É Humano e madura a maneira como te expressas-te, nada rude. Ao mesmo tempo é uma bela lição para aqueles que tanto oferecem palavras pouco sentidas.
    Arriscar? Tenho pensado nisso.
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  5. mas que lindo André Aqui uma parte que me diz muito, para amar na minha opinião passa por tantas etapas ate vir esse amo-te tão falado um gosto de ti um preciso de ti um tenho saudades um adoro-te isso faz parte nao um simples amo-te e para mim o mais complicado de se dizer eu nao acordo e amo aquele alguém, obrigada por escreveres assim tão profundamente adoro ler-te

    ResponderEliminar

Enviar um comentário