Hoje vale a pena leres...


E se te contassem que o mundo acabaria mesmo amanhã? E se faltassem poucas horas para poderes viver tudo o que um dia deixaste sem arriscar? Arrependias-te de algo? Melhoravas algo em ti? E se te dissessem que não irias ver mais sorrisos, que não encontrarias mais sentimentos, que não olharias mais para o que te faz feliz, o que farias nesse momento? Para quem corrias abraçando nem que fosse por um segundo apenas? Para onde ias escrever as últimas horas da tua história? Se o mundo terminasse sorrias pelo que viveste ou chorarias pelo que deixaste por viver? Se tudo terminasse, tinhas vivido o que realmente desejaste? Por vezes não questionamos a vida, não questionamos o que, realmente, queremos, acomodando-nos com as migalhas que nos vão alimentando mas que não nos fazem sorrir. Preferimos assim desperdiçar oportunidades, preferimos nem arriscar, acobardando-nos a um viver repleto de receios, receios que nos prendem, que nos impedem de avançar. Seguimos caminhos que não são os nossos, sonhamos de olhos abertos mas nada fazemos para que esse sonho se torne realidade. O problema disso tudo é nosso? Sim o problema é mesmo nosso que esperamos que a vida mude sem que façamos nada de diferente para que essa mudança chegue. E se tudo isto acabar mesmo? E se tudo isto desaparecer levando-nos para outro lugar que desconhecemos? Com certeza penso que o orgulho não nos torna mais felizes, que fugir não faz esquecer e que o amor, nasceu para ser vivido e não perdido por entre a fraca força de um lutar. Não gostas de um abraço apertado? De um beijo sentido? De um viver repleto de sorrisos? Então porque adias tudo isso? Porque colocas para segundo plano tudo o que deveria aparecer em primeiro? A vida passa, os segundos correm e o que hoje se vive, amanhã poderá ser mais uma lembrança que dói, que dói por não ter sido vivida e por nem sequer sabermos como tudo poderia acontecer, como poderíamos ser felizes com uma outra pessoa. Há vezes que deveremos parar, pensar mas, sobretudo, sentir o que queremos, o que nos faz falta e, a partir daí, lutarmos para sermos melhores, quebrarmos com o medo e, mais do que isso, vivermos a nossa história como se o mundo acabasse mesmo amanhã...




Se não arriscarmos para sermos felizes na nossa história, quem arriscará por nós?




Comentários

  1. Este teu texto chamou-me especialmente atenção porque é algo que sempre me pergunto. É algo que me lembro de quando a quando como se me perguntasse: 'Paula Sousa, tu faz o que tu quiseres não te esqueças de distinguir o importante de acessório'. Perde-mo-nos muito em acessórios em coisas que parecem importantes mas que nos sugam demasiado tempo. É importante ir conjugando essas coisas...quando não esquece-mo-nos de nós e daquilo que nos define e nos faz felizes.

    ResponderEliminar
  2. Se acabasse o mundo amanhã tenho a certeza que arriscaria todas as horas que faltavam; não me arrependeria de nada e não ia melhorar nada em mim. Iria sim, viver cada segundo, procurar as pessoas certas, demonstrar-lhe os sentimentos que tenho administrados por elas e no fim iria querer ve-las sorrir, mais e uma e outra vez.
    E no fundo queria ser retribuida, queria o tal abraço, o tal beijo, os tais sorrisos. Acima de tudo seriam horas felizes e despreocupadas.
    Adorei o teu texto de hoje , é diferente e ao mesmo tempo tem uma mensagem de vida bonita. Vive intensamente como tu o sabes fazer e sê feliz :)

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  3. Olá olá

    Como sempre muito assertivo, complexo e verdadeiro. Mas hoje tiveste uma complexidade diferente, nao sei explicar, mas achei o texto mais cheio, tudo se relaciona, tudo se questiona e tudo se complementa, muito interessante.

    Gostei das perguntas e respostas, maneira interessante de abordar um tema, muito bem ;)

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Não podia ler algo melhor depois de um dia com um momento bastante complicado. Mas sabes, gosto de fazer as coisas, de deixar o orgulho de lado, sem pensar que o mundo poderia acabar. Acho que as coisas seriam totalmente diferente...

    ResponderEliminar
  5. Se acabasse o mundo sinceramente não sei o que faria, mas tentava estar sempre com as pessoas que mais amo e fazer algo de diferente. Hoje em dia é tão complicado conciliar tudo que às vezes há certas coisas ou pessoas que ficam de parte nos nossos dias. Mas devemos sempre tirar uns minutinhos ou umas horas para compensar esses momentos perdidos e demonstrarmos o quanto gostamos das pessoas e o quanto são importantes na nossa vida. :)
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  6. As últimas horas da minha vida, eu escrevia-as com ternura, êxtase e paixão. Agarrava as palavras com febre e acabava feliz, em paz. Contornava o mundo e não deixava nada escapar. Era um dia diferente. Umas horas diferentes.

    Que texto bonito! Beijinhos*

    ResponderEliminar
  7. Quando se ama uma pessoa, sem ser um amor de paixão, aprende-se o lado bom do amor. :)
    Obrigada*
    A seguir tbm. :)

    ResponderEliminar
  8. Sem dúvida alguma, a mudança pode ser o primeiro passo para a construção de algo novo, inovador e que nos faça felizes. Mas antes que isso aconteça, temos de nos mentalizar para a fazer, caso contrário, não conseguimos dar qualquer passo e acabamos por nos sentir desanimados e frustrados com a situação em que nos encontramos.
    Sei que não sou muito assídua nestas redondezas (já o fui muito mais) mas és sempre bem vindo ao meu singelo refúgio :) obrigada pelas palavras*

    ResponderEliminar
  9. Gostei imenso, escreves com imensidão nos dedos. Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Tenho mais um selinho para ti, não me dês na cabeça por me lembrar de ti :p
    Mas a verdade é que escreves muito bem, tu sabes disso. E o amor para mim é magia.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Se o mundo acabasse amanhã ficaria muito por fazer e por dizer. Mas acima de tudo sorriria pelo que tenho e consegui alcançar até hoje, e tentava levar o mínimo de arrependimentos comigo. Seria um dia diferente certamente.

    Adorei o texto :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário