A Prosa de um dia cansativo...

Simplesmente hoje confesso que o amor tem vindo a crescer, que a saudade invade este meu peito que procura a tua presença. No passar das horas, no contar dos dias fica a recordação, a recordação de momentos de um amor, de uma amor sentido, crescido, que apareceu de uma forma arrebatadora dentro do coração de quem apenas sentia cada frase, reparava em cada pormenor. São gestos, são prosas de um sentir que eu sei que é diferente, deste calar de palavras que tudo dizem, deste querer incondicional que nos arrasta constantemente um para o outro, que entrelaça coração com coração. Ainda procuro os fragmentos deste caminho, ainda sigo as pegadas que me levam sempre na direção do sonho, deste meu sonhar em que de personagem secundária passo a dono da minha história, a narrador de um amor aqui tão vivo, aqui tão livre dentro de mim. Dizem que é nas horas que nos encontramos a nós próprios que vemos aquilo que nos faz falta, que encontramos o caminho que se coaduna connosco, que a vida ganha todas as cores possíveis. Somos carne, carne que sente e eu, eu não sou excepção deste meu grande querer, deste meu amor que cresce mesmo que o sufoque, que não consegue enganar, que não consegue esquecer, que não consegue esquecer-te...



Comentários

  1. « em que entregas o teu sorriso na busca de outro que te aqueça o coração, que te faça feliz » oh, foi mesmo isso :')

    ResponderEliminar
  2. Está lindo este post, está mesmo. E entendo o que sentes, tão bem! Força!
    E obrigada (:

    ResponderEliminar
  3. mas as vezes é complicado, obrigada (:

    ResponderEliminar
  4. Obrigada! Obrigada pelas tuas carinhosas palavras, que fazem sempre falta e cada vez mais parece que sabes escolher o momento certo para as "pronunciar". Sabes que as coisas que nos acontecem nos fazes amadurecer, crescer e principalmente melhorarmos tudo aquilo que fazemos!
    E que saudades eu tinha de vir espreitar o teu canto, onde as palavras derretem o coração! Parabéns, tens sempre aquele jeito encantador!
    Beijinhos! :)

    ResponderEliminar
  5. Está lindo lindo!!! :D

    Bom fim de semana :)

    Beijinhoo

    ResponderEliminar
  6. é sempre bom quando vemos que as pessoas gostam do que escrevemos, como tu deves saber tão bem, e foi por vocês , por seguidores como tu, que á uns tempos não acabei com o blog, obrigada por tudo, por todas as palavras (: bom Domingo * mais uma vez derretes-me com estas palavras *-*

    (se tiveres a aderir a selos leva o meu, porque o teu blog é especial e é um dos que eu gostava que o levasse)

    ResponderEliminar
  7. Já tinha saudades de te ler!
    Adorei, adorei este amor*

    ResponderEliminar
  8. torna-se mesmo muito doloroso ..
    só espero em breve, poder estar com ele $
    obrigada, beijinho !

    ResponderEliminar
  9. Adoro visitar o teu blog e talvez se deva ao facto de (como já disse várias vezes) me rever nas tuas palavras.
    E desta vez não foi exceção; talvez ainda me tenha revisto mais (comparando com outros post), porque desta vez em vez de me rever apenas numa parte do post, revi-me na quase totalidade...
    Mas desta vez se sabia o que escrever, desta vez não sei o que escreva. Talvez porque ando numa fase em que parece que "não sei o que é sentir", parece que está tudo muito inerte em mim, embora consiga sentir e perceber as tuas palavras e sentimentos!

    E pegando na imagem que colocas-te no post, por vezes sentimos mesmo necessidade de sentir alguma magia em nós, sentir que estamos presentes, sentir que existe algo em nós que faça sentir bem, para além dos "simples e banais" prazeres da vida. Precisamos de sentir vida, precisamos de sentir o amor; que neste caso nasceu e apesar de parecer que morreu no nosso quotidiano, está teimosamente vivo e teima em desaparecer, como a saudade do prazer de amar e sentir que somos amados...

    Deixa que te diga uma coisa (e espero não te ofender com estas palavras), não procures o passado, mas sim o presente e o futuro. Pois embora saiba que não vivas de forma sofrida esse teu amor do passado, tens que tentar procurar nem as igualdades nem as semelhanças, mas algo novo que te faça sentir de igual forma feliz, mas que essa felicidade venha de forma diferente (e estas palavras talvez também se apliquem a mim...)
    Diz-se que o tempo tudo cura! Se cura ou não, uma coisa é certa ajuda a amenizar os nosso sentimentos...

    Voltarei cá sempre que conseguir!

    Um grande abraço!

    ResponderEliminar
  10. Parabéns! Gosto imenso dos teus textos, escreves muito bem, toca a alma de quem lê!
    Continua! beijinho e boa semana! :)

    ResponderEliminar
  11. muito obrigada! é uma grande verdade, e devemos aproveitar todas essas oportunidades! adoro o teu cantinho. um beijinho e um resto de uma boa semana também! :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário