É só um amor que colhe...

Sinto-te a percorrer este meu corpo, neste meu sentir intenso que me passa pelas veias, que se mostra em espasmos sistemáticos em que me perco no teu olhar, em que procuro as tuas mãos no meio da escuridão das noites. Perfume forte este que inalo, este que permanece agarrado a esta minha pele, a este meu corpo que pede o teu, a este meu coração que grita incessantemente o teu nome, o nome de quem um dia entrou dentro dele para permanecer numa eternidade conhecida, neste presente ardente, consequente, delinquente que vou vivendo. Saudades desta vida, desta estranha forma de vida que se alimenta de sentimento, de um sentimento verdadeiro, presente e não na instabilidade de um querer, num abandonar de um sonhar. Sopro fio, chama quente, esta dualidade entre o ter-te e o largar-te, neste destino que nem sequer tem vida própria, nesta história que escrevemos nós e não sombras a que muitos dão o nome de horas, de tempo ou lá como o queiram designar. Intensidade, vivo a intensidade desta minha alma, deixo de ser espectro e sou a luz que me banha o rosto, o querer forte por que luto, o sonho que não esqueço, o batalhar em que não desisto. Sigo os passos que um dia nem sequer enxergava, caminho em frente e abdico daquelas recordações do passado, aquelas que me prenderam, que me arrastaram, que deixaram cicatrizes mas que hoje nem sequer sinto, nem sequer vejo, nem sequer procuro mais. O melhor sonho é aquele que sonhamos de olhos abertos, aquele que nos rasga um sorriso, que nos dá força, que faz de nós pessoas melhores a cada vitória, a cada derrota, a cada capítulo de uma vida que somos nós que delineamos...



Comentários

  1. digo o mesmo acerca deste texto, é bom não deixarmos de sonhar!*:)

    ResponderEliminar
  2. "O melhor sonho é aquele que sonhamos de olhos abertos"


    Sem dúvida!

    Bjo

    ResponderEliminar
  3. «aqueles momentos em que somos apenas nós, num monólogo com o nosso coração.» é disso que eu sinto falta, de estar comigo e só comigo, de não pensar em nada nem em ninguém , de me sentir vazia, mas um vazio bom e reconfortante ... tenho medo , e esse tem sido um dos problemas, tenho mede de encontrar um porto de abrigo que seja passageiro porque não é isso que quero, não quero mudar de porto de abrigo de mês a mês ... :s obrigada mais uma vez por tudo e oh, que lindo texto tens aqui *-*

    beijinho c:

    ResponderEliminar
  4. Sabes, às vezes em dias mais vazios. Naqueles dias em que pensamos para nós próprios que tudo aquilo que ansiamos é só um louco devaneio faz-nos falta ler textos como este, cheios de esperança. Num carrossel de emoções entram todas as palavras que absorvemos, boas ou más, e todas elas contribuem para garantir que vencemos ou perdemos. Obrigada por teres deixado aqui estas palavras, fazendo-me ver [mesmo que indiretamente] que os sonhos não são impossíveis, só têm de ser sonhados à nossa medida!

    "Sigo os passos que um dia nem sequer enxergava, caminho em frente e abdico daquelas recordações do passado, aquelas que me prenderam, que me arrastaram, que deixaram cicatrizes mas que hoje nem sequer sinto, nem sequer vejo, nem sequer procuro mais.", aqui disseste tudo e fizeste-me sentir o que a mente pensa e o coração cala.

    Obrigada e um beijinho *

    ResponderEliminar
  5. Muito obrigada <3 hei-de continuar, sim. Faz parte da minha vida a escrita.

    ResponderEliminar
  6. fico-te muito grata por todas as palavras! um beijinho, mia stelle. :)

    ResponderEliminar
  7. as pessoas por vezes são cruéis demais e não devia ser assim |:
    gostei muito do teu post ***

    ResponderEliminar

Enviar um comentário