Simplicidade do gesto...

Rasgou a pele e entregou o seu coração aquele amor, aquele sentimento tão nobre que lhe fazia sonhar, fazia o ser personagem da sua própria história, lutador e vencedor, persistente e amante nas horas de uma paixão fugaz, de um desejo que iria para além das palavras. Vivia o amor como sempre o sonhou, vivia ele de forma livre, de forma única e acreditava piamente que as verdadeiras histórias surgem com o tempo passo a passo, sentimento a sentimento e, não, numa busca forçada por alguém, num querer que se torna maior do que o amor-próprio. Entregava-se à vida, entregava-se ao viver, para ele tudo tinha significado desde que abrisse a janela e pudesse sentir na sua pele os raios de sol de mais um dia, de mais um dia em que o sentimento estava perante ele, tão translúcido, tão claro na forma de o perceber, na forma como o construía. Foram momentos em que lutou contra os fantasmas de um passado, contra as recordações que permaneciam na sua morada, no seu refúgio, mas soube bem, soube-lhe bem quando tudo se dissipou e ele voltou a acreditar, a vivenciar aquele amor tão vivo dentro dele, tão vivo dentro deles. O toque, o olhar, o sentir começaram a ter outro significado e o sentimento foi crescendo, galopando entre o viver e o lutar, entre o amar e o querer ser feliz, foi assim e assim continua a ser, uma história, uma vida tão desejada e ali demarcada, pelos sonhos mas acima de tudo por um sentir, um sentir deles e de apenas eles. O amor é bem mais do que sempre quiseram ter, o amor é bem mais do que a palavra proferida, ele é vida, vida dentro de quem o vive, vida dentro de quem faz do amor forma de vida, entranha forma de vida em que o sentimento é tudo e a ausência do mesmo é morte prematura, é viver no desconhecido...




Comentários

  1. é mesmo verdade. o amor é isso e muito mais quando compartilhado com a pessoa que vemos tão especial. estou muito feliz por te ver assim. acredita que estou mesmo. com essa felicidade, consegues dar vida própria aos teus textos , são lindos! LINDOS! adoooooro. sou mesmo fã!

    ResponderEliminar
  2. Adoro a maneira como escreves,principalmente nestes textos!
    É claro como água,esta tua felicidade,e fico muito feliz por ti. Aliás,por ambos! :)
    Espero que este amor dure por muito muito tempo,e que sejam sempre muito felizes.

    Beijinho*
    p.s-muito obrigada pelo teu comentário tão querido :´)

    ResponderEliminar
  3. "Vivia o amor como sempre o sonhou(...)" é assim que tem de ser...

    Adorei beijo*.*

    ResponderEliminar
  4. Fiquei quase sem palavras para comentar o teu texto. Por isso vou já agradecer, especialmente, o teu último comentário, no meu blog! Ele até pode ter sido espontâneo e sem grande preocupações na sua elaboração, mas parecia um pequeno-grande texto teu! Ficou magnifico e adorei todas as frases e todas as palavras que formam lá deixadas.
    E espero, que se as nossas histórias e sentimentos são assim semelhantes, espero seguir em ti um exemplo, como vejo outras pessoas noutras áreas, até porque também consigo ver nos teus magníficos e encantadores textos, opiniões, pensamentos e conclusões das quais defendo e concordo plenamente/totalmente. Embora existam muitas outras coisas que aprenda aqui, contigo...

    Agora em relação ao teu texto, não sei mesmo o que escrever!
    Está tão simples e tão bonito, tão fácil de entender e perceber! Que só me resta dizer que és um felizardo por conseguires viver a vida pela qual tanto (pelo que me parece) andas-te a lutar.
    Se assim o foi, tu merece-lo! E agora vive cada momento e luta por a continuares a manter e viver até onde conseguires!
    É certo que a forma de amar vai mudando à medida que se envelhece, mas também é isso que dá o prazer e é o "sal" da partilha de uma vida e uma relação (julgo eu!).

    Obrigado por tudo!
    Abraço!!!

    ResponderEliminar
  5. Com as tuas palavras dás-nos uma doce sensação dentro do peito e pões-nos automaticamente um sorriso nos lábios.

    Adoro o teu blogue. Até porque me identifico muito com o que escreves. Parabéns. Continua.

    Um forte abraço.

    ResponderEliminar
  6. Foram momentos em que lutou contra os fantasmas de um passado, contra as recordações que permaneciam na sua morada, no seu refúgio, mas soube bem, soube-lhe bem quando tudo se dissipou e ele voltou a acreditar, a vivenciar aquele amor tão vivo dentro dele, tão vivo dentro deles. - adorei padrinho!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário