Amor selvagem...

Em ti dispo a minha pele, coloco para dentro as minhas garras e deixo-me perder no teu corpo. Vivo em ti sem as feridas de guerra e entrego-me no teu ser sem protecções, em ti deixo de ser guerreiro e passo a ser amante, em ti deixo de ser actor e passo a ser personagem principal. O meu coração encontra o refúgio das tuas palavras, no meu ser tudo pede para me entregar a ti, nada me engana em cada simples gesto que tem o dom de me abstrair de outros mundos, viver apenas o nosso mundo. A simplicidade das palavras, os silêncios que dizem tudo, devoram-me a alma, devoram-me esta enorme vontade de sermos felizes, porque o somos como nunca o tinha sido. Deixo de ser felino, corpo sem dono, abandonado e passo a ter parte de ti e tu parte de mim, da minha revolta, da minha dor mas acima de tudo daquele amor que tão bem conheces em mim, daquela paixão que me agarra e te arrasta para junto do meu ser vagabundo em noites frias em que o instinto de sobrevivência se apodera de nós. Sou animal selvagem, livre no meu viver e sou prisioneiro dos meus próprios sonhos, sou eu, és tu e somos nós, aquele nós que construímos num terreno pantanoso onde todos caminham mas raros são os que não se afundam. Os meus olhos procuram os teus e as minhas mãos procuram-te no meio do escuro, no meio do desconhecido que em ti perde força, que em mim faz nascer vida. Agora sim, o mundo deixa de ser o que sempre foi, uma selva de guerras, de lutas constantes, agora, agora apenas encontrei um lar, um lugar em que as cores são bem mais intensas e em que o brilho deixa de ser ofuscante para dar lugar ao calor de dois corpos, de um só amor...




Comentários

  1. Que lindo!!
    Parece mesmo um texto referente à "bela e o monstro".
    Sempre foi um dos meus filmes infantis preferidos.
    É fascinante como independentemente da nossa aparência e até mesmo feitio "animalesco",a Bella amo-o desde do início até ao fim.
    E o teu post aqui é uma das maneiras mais bonitas de demonstrar isto.
    Simplesmente LINDO

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  2. oh obrigada meu caro andré, sempre com uma simpatia enorme *

    ResponderEliminar
  3. eu nunca tinha ouvido falar mas honestamente assustou-me, muito mas muito mesmo s: é horrível !
    E muito obrigada pelo elogio ao texto (':

    ResponderEliminar
  4. E é ainda melhor chegar ao blog e ver um comentário tão reconfortante como foi o teu , sim, o blog viveu uma reviravolta como a minha vida, uma revivavolta má, nada possitiva :s mas que não vai desaparecer :| só quero que tudo volte ao normal :s e o que me chateia mais é que é sempre assim, quando estou a melhorar, a ficar feliz algo vem e leva toda a minha felicidade e esconde-a algures onde eu não a encontro ._.
    Ficarei á tua espera, e á espera de comentários que me aquecam tanto o coração como o teu (:

    ResponderEliminar
  5. Boa noite André,

    Então não deitaste as recordações, o passado ou parte dele pela janela do carro?

    AH! AINDA FICARAM, ALGUMAS. Pois, ficam, sempre, mas temporariamente.

    Li o teu texto, um tanto de conteúdo selvagem, mas parece-me, que ele, o texto, é o oposto de selvagem.

    LANÇAS UMA GARRAS, QUE DEPOIS ESTÃO ENVOLVIDAS EM MEL. Não deste conta?

    RESSACA OU RECAÍDA?

    Esperemos, o amanhã, que será diferente, ou irremediavelmente igual e fatal.

    VAMOS PENSAR POSITIVO?

    Boa semana.

    Beijos de luz.

    ResponderEliminar
  6. Mas este é um post positivo, certo?

    Eu pelo menos assim o li.

    Bjo

    ResponderEliminar
  7. Está tão, mas tão lindo!
    Tens imenso gente, parabéns e não deixes de escrever nunca :)
    Beijinhos *

    ResponderEliminar
  8. Está muito (mas mesmo muito) lindo! (gostei muito do que li!)
    Só que dou por mim sempre a pensar... se ele escreve o que sente, é pena que o amor que falas (aparentemente) não esteja junto de ti, da forma que desejavas...
    Embora veja nas tuas palavras não um sofrimento "desgostoso", mas um sofrimentos "de prazer".
    Um sofrimento, que aprendes-te a controlar e vira-lo a teu favor. De forma a que ele seja algo que te relembre os bons momentos e sentimentos, como se os vivesses (ou revivesses da mesma forma que os vives-te no passado). Ao contrário da maioria dos comuns mortais, que sofre por tudo o que gostaria de reviver...

    Com isto tudo sei é que tens muito e inesgotável amor, a viver dentro de si, sempre disposta a ser partilhada!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário